Assinaturas de streaming de vídeo ultrapassam TV a cabo no mundo

Streaming registrou 131,2 milhões de novas assinaturas globalmente, enquanto TV a cabo recuou 2% em 2018
1

Pela primeira vez, as assinaturas de vídeo — como Netflix e Amazon Prime Video — ultrapassaram globalmente o número de clientes de TV a cabo, de acordo com um relatório da Motion Picture Association of America (MPAA).

A tendência é que os serviços de streaming continuem crescendo. Atualmente, o mercado é dominado principalmente por Netflix, Amazon e Hulu, mas outras empresas querem participar da competição: as estreias da Apple e Disney são aguardadas para 2019.

“No mercado dinâmico atual, as histórias ganham vida nos cinemas, em casa e em movimento”, resumiu, em um comunicado, o CEO da MPAA, Charles Rivkin.

Segundo o relatório, o mercado cinematográfico mundial (salas de cinemas e visualização em domicílio) impulsionado por superproduções do império Disney como “Pantera Negra”, “Os Vingadores: Guerra Infinita” ou “Os Incríveis 2”, cresceu 9% em relação a 2017.

As receitas ligadas à visualização em domicílio (conteúdo digital em disco ou via internet) subiram ainda mais, um crescimento de 16% em relação ao ano anterior, atingindo 55,7 bilhões de dólares.

“Desde 2014, os gastos com serviço digital cresceram 170% em todo o mundo, enquanto aqueles com os suportes físicos diminuíram em 48%”, diz o documento.

Globalmente, o número de assinaturas de serviços de vídeo online (613,3 milhões) aumentou 27%, ou 131,2 milhões, enquanto as assinaturas de televisão a cabo (556 milhões) caíram 2%.

A TV a cabo continua a ser a plataforma de vídeo que gera as maiores receitas, 118 bilhões de dólares em 2018.

Enquanto as receitas nas salas de cinemas aumentaram significativamente nos Estados Unidos e no Canadá (+ 7%, para US$ 11,9 bilhões), diminuíram no resto do mundo (-1% para 29,2 bilhões de dólares).

Isto não impediu, porém, que o número de salas de cinema progredisse globalmente para quase 190.000 (+ 7%).

Fora da América do Norte, sete países representam um mercado de pelo menos um bilhão de dólares para o cinema: a China (9 bilhões de dólares), o Japão (2 bilhões), o Reino Unido, a Coreia do Sul, a França, a Índia e a Alemanha.

Via Zero Hora

mm